DO ESTADO DE DIREITO SOCIAL SUSTENTÁVEL PARA UMA DEFESA E EFETIVAÇÃO DOS DIREITOS SOCIAIS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30899/dfj.v15i45.792

Palavras-chave:

Direitos Fundamentais Sociais, Estado Social Sustentável, Desenvolvimento Sócio-econômico, Justiciabilidade dos direitos sociais

Resumo

O artigo busca explorar barreiras que impedem a concretização dos direitos sociais, desvelando as diferentes dimensões dos direitos sociais – seu caráter subjetivo, sua expressão poliédrica, sua eficácia, sua concretização e sua justiciabilidade – procurando demonstrar a relação conexa que existe ente direitos sociais e redução da pobreza, o que possibilita falar da construção de um modelo sustentável de Estado Social. Aborda-se a importância da dimensão júrídico-objetiva e seu reflexo no ordenamento jurídico, bem como a nova normatividade que possibilita a oxigenação do direito (e dos direitos sociais). Pretende-se, com a análise, apresentar como os direitos sociais atingem os mais pobres pela justiciabilidade, aportando, em paralelo, críticas a um modelo que não pense de forma sustentável a justiciabilidade no Estado Social, como possibilidade para o desenvolvimento dos mais necessitados, que tem como efeito um impacto positivo para toda a sociedade.

Biografia do Autor

Paulo Junior Trindade dos Santos, UNOESC

Professor Colaborador junto ao Programa de Pós-Graduação em Direito da UNOESC com vínculo de bolsa PNPD. Líder do Grupo de Pesquisa: Constitucionalismo Pós-Moderno, Hermenêutica e Processo: direitos humanos e novas tecnologias. Foi Pós-doutorando, Doutor e Mestre em Direito Público com ênfase em Direito Processual Civil pela UNISINOS, com Bolsas CAPES e CNPq, ambas remuneradas. Representante de Discentes do ora Curso (2011- até o momento). Pós-Graduando na Especialização em Direito Processual Civil e Trabalhista pela Associação dos Magistrados Trabalhistas da 12 Região (AMATRA12). Graduação em Direito pela Universidade do Oeste de Santa Catarina (UNOESC - 2009-02). Pesquisador/Investigador Jurídico nas áreas: 1) Direito Público com ênfase em "Teoria Geral do Estado e do Direito Constitucional" e em Direito Processual Civil; 2) Direito Privado: ênfase em Direito Civil e sua Contemporaneidade; 3) Constitucionalização do Direito; e 4) Filosofia do-no Direito. Email: pjtrindades@hotmail.com. Orcid https://orcid.org/0000-0001-9092-3391 Lattes  http://lattes.cnpq.br/1485583351425783

Cristhian Magnus De Marco, unoesc

Pós-doutorado em Direito pela Universidade Federal de Santa Catarina, concluído em 2017, com pesquisas sobre o princípio da sustentabilidade. Doutorado em Direito pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, finalizado em 2012. Tema da tese: O direito fundamental à cidade sustentável. Mestrado em Direito pela Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC, em 2000, com dissertação sobre o Município na Federação. Professor e pesquisador do Programa de Pesquisa, Extensão e Pós-graduação em Direito da Universidade do Oeste de Santa Catarina - UNOESC. Áreas de interesse: Direitos Fundamentais; Direitos socioambientais; Direito ao desenvolvimento; Direito urbanístico; Sustentabilidade. Linha de Pesquisa: Cidades Sustentáveis. Temas de pesquisa: Teoria dos Direitos Fundamentais, Direito fundamental à cidade sustentável, Direito à moradia, Objetivos do Desenvolvimento Sustentável. ORCID: https://orcid.org/0000-0003-4528-6690. Lattes: http://lattes.cnpq.br/3186835973743438.

Referências

ABRAMOVICH, Victor; COURTIS, Christian. Los derechos sociales como derechos exigibles. Madrid: Editorial Trotta, 2002.

ALEXY, Robert. Teoria dos Direitos Fundamentais. São Paulo: Malheiros, 2006.

BOBBIO, Norberto. A Era dos Direitos. Rio de Janeiro, Elsevier, 2004.

BONAVIDES, Paulo. Curso de Direito Constitucional. 15ª edição. São Paulo: Malheiros, 2004.

BOSSELMANN, Klaus. O Princípio da Sustentabilidade. Transformando direito e governança. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2008.

BOROWSKI, Martin. La estructura de los derechos fundamentales. Bogotá: Universidad Externado de Colombia, 2003.

BUCCI, Maria Paula Dallari. Fundamentos para uma teoria jurídica das políticas públicas. São Paulo: Saraiva, 2013.

CANOTILHO, J.J. Direito Constitucional e Teoria da Constituição. 7ª Edição. Coimbra: Almedina, 1997.

______. O Direito Constitucional como Ciência de direccção – o núcleo essencial de prestações sociais ou a localização incerta da socialidade (contributo para a reabilitação da força normativa da “Constituição Social”). Em: CANOTILHO, J.J Gomes; CORREIA, Marcus Orione Gonçalves; CORREIA, Érica Paula (Coord.) Direitos Fundamentais Sociais. São Paulo: Saraiva, 2010.

DWORKIN, Ronald. Uma questão de Princípio. 1ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

FERRAJOLI, Luigi. Constitucionalismo más allá del Estado. Madrid: Editorial Trotta, 2018.

______. Sobre los derechos fundamentales. Cuestiones Constitucionales, número 15, 2006, pp.113-136.

FIORAVANTI, Maurizio. Los Derechos Fundamentales. Apuntes de historia de las constituciones. Madrid: Trotta, 2003.

FISS, Owen. El Derecho como Razón Pública. Madrid: Marcial Pons, 2007.

FREITAS, Juarez. Sustentabilidade: novo prisma hermenêutico. Novos Estudos Jurídicios – NEJ, 24(3), set./dez.2018, pp.940-963.

GUASTINI, Riccardo. Estudios de teoría constitucional. México: Fontamara, 2001.

HESPANHA, António Manuel. O Caleidoscópio do Direito. O direito e a justiça nos dias e no mundo de hoje. Coimbra: Almedina, 2009.

HOLMES, Stephen; SUNSTEIN, Cass R. El Costo de los derechos. Por qué la libertad depende de los impuestos. México: Siglo veintiuno, 2012.

LANDAU, David. Derechos sociais y límites a la reforma constitucional. La influencia de la jurisprudencia de la Corte Constitucional colombiana en del derecho comparado. Bogotá: Universidad Externado de Colombia, 2015.

LUNÕ, Antonio E. Pérez. Derechos Humanos, Estado de Derecho y Constitución. Madrid: Tecnos, 1995.

MORALES, Leticia. Derechos sociales constitucionales y democracia. Madrid: Marcial Pons, 2015.

NEVES, Marcelo. Entre Hidra e Hercules. Princípios e regras constitucionais como diferença paradoxal do sistema jurídico. São Paulo: Martins Fontes, 2013.

NIETZSCHE, Friedrich. Humano Demasiado Humano. São Paulo: Companhia de Bolso, 2007.

NOGUERA, Albert. Los Derechos Sociales en Las Nuevas Constituciones Latinoamericanas. Valencia: Tirant lo Blanch, 2010.

NONET, Philippe; SELZNICK, Philip. Direito e Sociedade: a transição ao sistema jurídico responsivo. Rio de Janeiro: Revan, 2010.

NOVAIS, Jorge Reis. Direitos Sociais. Teoria Jurídica dos Direitos Sociais Enquanto Direitos Fundamentais. Coimbra: Coimbra editores, 2010.

PERLINGEIRO, Ricardo. ¿La reserva de lo posible se constituye en un límite a la intervención jurisdiccional en las políticas públicas sociales? Estudio Socio-Jurídico, Bogotá, 16(2), 2014, pp.181-212.

PIERROTH, Bodo; SCHLINK, Bernhard. Direitos Fundamentais. São Paulo: Saraiva, 2012.

PISARELLO, Gerardo. Los derechos sociales y sus garantías. Elementos para una reconstrucción. Madrid: Editorial Trotta, 2007.

PUGA, Mariela. Litigio Estructural. Facultad de Derecho de la Universidad de Buenos Aires, 2013. Tesis Doctoral.

RIVADENEIRA, Rodolfo Arango. Derechos Sociales. In: FABRA ZAMORA, Jorge Luis; RODRÍGUEZA BLANCO, Verónica (ed.) Enciclopedia de Filosofía y Teoría del Derecho. Vol.II. México: Universidad Nacional Autónoma de México, 2015.

RIVERA, Joaquín Mejía. Diez cuestiones actuales sobre derechos humanos. México: Instituto de Estudios Constitucionales, 2018.

ROSANVALLON, Pierre. La Contrademocracia. La politica en la era de la desconfianza. Buenos Aires: Manantial, 2006.

_______. La sociedad de los iguales. Madrid: Rba,2011

SANTOS, Paulo Junior Trindade dos. Filosofia do direito processual (da jurisdição ao processo): o fenômeno conflitológico de interesses como gênese do direito. Tese (Doutorado em Direito) – Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo-RS, 2018, 844 p.

SARLET, Ingo Wolfgang. A Eficácia dos Direitos Fundamentais: uma teoria geral dos direitos fundamentais na perspectiva constitucional. 10ª edição. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2009.

SEN, Amartya. A ideia de justiça. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

______. Desenvolvimento como liberdade. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

STRECK, Lenio Luiz. Jurisdição Constitucional e Decisão Jurídica. 3ª edição. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2013.

______. Hermenêutica Jurídica e(m) Crise. Uma exploração hermenêutica do direito. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2011.

VALLE, Vanice Regina Lírio. Políticas públicas, direitos fundamentais e controle judicial. Belo Horizonte: Fórum, 2009.

ZAGREBELSKY, Gustavo. El derecho dúctil. Ley, derechos, justicia. Madrid: Trotta, 2011.

Publicado

2022-03-22 — Atualizado em 2022-03-28

Versões

Como Citar

Moller, G. S., dos Santos, P. J. T., & De Marco, C. M. (2022). DO ESTADO DE DIREITO SOCIAL SUSTENTÁVEL PARA UMA DEFESA E EFETIVAÇÃO DOS DIREITOS SOCIAIS. Revista Brasileira De Direitos Fundamentais & Justiça, 15(45), 247–275. https://doi.org/10.30899/dfj.v15i45.792 (Original work published 22º de março de 2022)