A quinta geração de direitos fundamentais

  • Paulo Bonavides
Palavras-chave: Direito à Paz, Direitos Fundamentais, Democracia

Resumo

O artigo versa sobre a importância de reconhecimento jurídico do direito à paz e sua íntima integração a compreensão de democracia. Destaca a paz como um direito fundamental de quinta geração que legitima o estabelecimento da ordem, da liberdade e do bem comum na convivência dos povos. Assim, a nova dimensão de direitos fundamentais reserva ao direito à paz o papel central de supremo direito da humanidade.

Biografia do Autor

Paulo Bonavides

Catedrático Emérito da Universidade Federal do Ceará, Doutor Honoris Causa pela Universidade de Lisboa e agraciado com a Medalha Rui Barbosa da Ordem dos Advogados do Brasil. Fundador e Presidente do Conselho Diretivo da Revista Latino-Americana de Estudos Constitucionais.

Referências

Héctor Gros Espiell, ”El derecho a la paz” in “Derechos Humanos y vida Internacional,” ob.cit., pp. 125/126

Pablo Eduardo Jiménez, “Los derechos humanos de la tercera generáción”, Buenos Aires, 1997, Editora Ediar

Ernesto Cantor Rey e Maria Carolina Ruiz Rodriguez, “Las generaciones de los derechos humanos”, 2ª edição, Bogotá, Editora Página Maestra, 2003

Cecília Alaba Mayo de Ingaramo, “Herramientas y Mecanismos Constitucionales para la Protección Integral de los Derechos Humanos de la Tercera Generación”, Buenos Aires, 1997, Ed. Ediar

Paulo Bonavides, Curso de Direito Constitucional, 6ª Edição, 1996 (janeiro), Malheiros, São Paulo

Néstor Pedro Sagüés, “Constitución y Sociedad: La Revisión de lãs Questiones Políticas no Justiciables (A propósito de la “Coalición contra Iraq”, in “Revista Latino-Americana de Estudos Constitucionais”, nº 8, Fortaleza, 2007

Latino Coelho. O Preço da Monarquia. Lisboa, s/d, p. 24

Publicado
30-06-2008
Como Citar
Bonavides, P. (2008). A quinta geração de direitos fundamentais. Revista Brasileira De Direitos Fundamentais & Justiça, 2(3), 82-93. https://doi.org/10.30899/dfj.v2i3.534