A sociedade da informação a serviço da inclusão social

  • Maria Cristina Cereser Pezzella
  • Michelle Dias Bublitz
Palavras-chave: Sociedade da Informação, Igualdade, Inclusão Social

Resumo

A sociedade moderna está caracterizada por um processo de evolução tecnológica que transformou os meios de comunicação pela velocidade no acesso às informações. A Sociedade da Informação distingue nosso tempo com a marca da inovação e da instantaneidade, mas esbarra, à medida que cresce, num imenso desafio: precisa universalizar-se, democratizar-se, sob pena de reproduzir e perpetuar os velhos limites de um mundo historicamente desigual. O teletrabalho é compreendido como uma nova forma de prestar serviços na Era das novas tecnologias. Enfrentar-se-á, a partir das premissas acima, as questões pertinentes a formação profissional e a educação face ao uso das tecnologias da informação e comunicação. O artigo pretende averiguar aspectos relacionados ao estágio atual de desenvolvimento da Sociedade da Informação no Brasil, com ênfase para o debate sobre o uso das tecnologias da informação e comunicação como instrumento de redução das desigualdades sociais, uma vez que informação e comunicação são segmentos praticamente indissociáveis.

Biografia do Autor

Maria Cristina Cereser Pezzella

Advogada. Professora do Programa de Pesquisa e Extensão e Pós-Graduação em Direito da Universidade do Oeste de Santa Catarina – UNOESC. Coordenadora/Líder do Grupo de Pesquisas (CNPq) intitulado “Direitos Fundamentais Civis: A Ampliação dos Direitos Subjetivos”, sediado na UNOESC. Graduada em Direito pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul – PUCRS (1988). Mestre em Direito pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS (1998). Doutora em Direito pela Universidade Federal do Paraná – UFPR (2002). Avaliadora do INEP/MEC e Supervisora do SESu/MEC. Endereço de acesso ao banco de currículos do sistema lattes/URL: http://lattes.cnpq.br/7386742048598458. crispezzella@uol.com.br

Michelle Dias Bublitz

Advogada. Mestranda em Direito pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul – PUCRS, bolsista CAPES. Especialista em Direito e Processo do Trabalho pela Faculdade IDC – Instituto de Desenvolvimento Cultural (2009). Graduada pela Universidade Luterana do Brasil – ULBRA – campus Canoas/RS (2008). Integrante qualificada como Pesquisadora do Grupo de Estudos e Pesquisas (CNPq) intitulado “Direitos Fundamentais Civis: A Ampliação dos Direitos Subjetivos”, sediado na Universidade do Oeste de Santa Catarina – UNOESC, sob coordenação da Profª. Dra. Maria Cristina Cereser Pezzella. Integrante qualificada como Pesquisadora do Grupo de Estudos e Pesquisas (CNPq) intitulado “Novas Tecnologias e Relações de Trabalho” sob coordenação da Dra. Profª. Denise Pires Fincato, sediado na PUCRS. Integrante qualificada como Estudante do Grupo de Estudos e Pesquisas em Direitos Fundamentais (CNPq) sob coordenação do Dr. Prof. Ingo Wolfgang Sarlet e do Dr. Prof. Carlos Alberto Molinaro – PUCRS. Endereço de acesso ao banco de currículos do sistema lattes/URL: http://lattes.cnpq.br/5250389607028753. michellebublitz@gmail.com

Referências

AGÊNCIA FAPESP. Desigualdades Digitais. Disponível em: Acesso em: 20 jul. 2011.
ANDRADE, Sonia A. C. R. Inclusão Digital na Era do Conhecimento: parcerias Público-privadas alavancam a construção do capital Social. Disponível em: Acesso em: 20 jul. 2011.
BARRETO, Aldo de Albuquerque. As Tecnologias Intensivas de Informação e Comunicação e o Reposicionamento dos Atores do Setor. In: INFO 97, 1997, Cuba. Anais… Cuba: 1997.
BARROS, Alice Monteiro de. Curso de Direito do Trabalho. 2. ed., São Paulo: LTr, 2006.
BRANDOLINO, Enrique Ricardo. Tele Trabalho. In: VARGAS, Luiz Alberto de; FRAGA, Ricardo Carvalho (Coord.). Avanços e Possibilidades do Direito do Trabalho. São Paulo: LTr, 2005.
CANOTILHO, José Joaquim Gomes. Estado de Direito. Cadernos Democráticos nº 7. Fundação Mário Soares. Lisboa: Gradiva, 1998.
CARDOSO, Ruth Correa Leite. A Era da Informação: Economia, Sociedade e Cultura – O Poder da Identidade, Prefácio, obra de Manuel Castells, Volume 2, 5. ed., Editora
Paz e Terra.
CASTANHEIRA NEVES, Antonio. Metodologia Jurídica: problemas fundamentais. Coimbra: Coimbra Editora, 1993.
CASTELLS, Manuel. A Sociedade em Rede (A Era da Informação: economia, sociedade e cultura, v. 1). Tradução de Roneide Venâncio Majer; atualização para 6. ed., Jussara Simões. São Paulo: Paz e Terra, 1999.
CASTELLS, Manuel. A Galáxia da Internet: reflexões sobre Internet, Negócios e Sociedade. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2004. 325p.
CRITELLI, Dulce Mara. In HEIDEGGER, Martin. Todos nós ... ninguém – Um Enfoque Fenomenológico Social. São Paulo: Moraes, 1981.
DARELLI, Lúcio Eduardo. Telecentro como Instrumento de Inclusão Digital para o e-gov Brasileiro. Florianópolis: Telesc, 2003.
DOWBOR, Ladislau. Tecnologias do Conhecimento: Os Desafios da Educação. Petrópolis: Vozes, 2001.
DUPAS, Gilberto. Ética e Poder na Sociedade da Informação. 2. ed., ver. e ampl. São Paulo: Editora UNESP, 2001.
DUPAS, Gilberto. Economia Global e Exclusão Social. Pobreza, Emprego, Estado e Futuro do Capitalismo. 3. ed., ver. e ampl. São Paulo: Paz e Terra, 1999.
FINCATO, Denise Pires. Teletrabalho: uma análise juslaboral. Revista Justiça do Trabalho, Porto Alegre: HS Editora, nº 236, ago. 2003.
FREIRE, Paulo. Educação como Prática da Liberdade. 23. ed., Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1999.
GALIMBERTI, Umberto. Psiche e Techne: o homem na idade da técnica. Tradução: José Maria de Almeida. São Paulo: Paulus, 2006, p. 20-21.
GOUNNET, Jacques. Educação e Mídias. São Paulo: Loyola, 2004.
GOUVEIA, Luis Manuel Borges. “Sociedade da Informação – Notas de Contribuição para uma Definição Operacional”, nov. 2004, Disponível em: Im@ufp.pt,http://ufp.pt/~Imbg.
GOUVEIA, Luis Manuel Borges; GAIO, Sofia. “Sociedade da Informação: balanço e oportunidades”. Edições Universidade Fernando Pessoa, 2004. Grupo Telefônica, “A Sociedade da Informação – Presente e Perspectivas”, 2002, p. 35.
HASSMANN, Hugo (Org). Redes Digitais e Metamorfose do Aprender. Petrópolis: Vozes, 2005.
HEIDEGGER, Martins. Ser e Tempo. 10. ed., Tradução de Márcia de Sá Cavalcante. Petrópolis: Vozes, 2001.
JARDIM, Carla Carrara da Silva. O Teletrabalho e suas Atuais Modalidades. São Paulo: LTr, 2003.
JESUS, Paulo de; MANCE, Euclides. Exclusão/inclusão. In: CATTANI, Antônio David (Org.). A Outra Economia. Porto Alegre: Veraz Editores, 2003, p. 149-153.
KUMAR, Krishan. “Da Sociedade Pós-industrial à Pós-moderna: novas teorias sobre o mundo contemporâneo”. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1997.
LEMOS, André. Cibercultura, Tecnologia e Vida Social na Cultura Contemporânea. Porto Alegre: Sulina, 2002.
LÉVY, Pierre. A Conexão Planetária: o mercado, o ciberespaço, a consciência. (Trad.) HOMEM, Maria Lúcia; ENTLER, Ronaldo. São Paulo: Ed. 34, 2001.
LIMA JÚNIOR, Jayme Benvenuto. Os Direitos Humanos Econômicos, Sociais e Culturais. Rio de Janeiro: Renovar, 2001.
MEDEIROS, Paulo Henrique Ramos. “Governo Eletrônico no Brasil: aspectos institucionais e reflexos na governança”, 2004.
MORIN, Edgar. Jornadas Temáticas (1998: Paris, França: 1998). A Religação dos Saberes: o desafio do século XXI / idealizadas e dirigidas por Edgar Morin, tradução e notas, Flávia Nascimento. 2. ed., Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002.
NAZARENO, Cláudio (et.al.). Tecnologias da Informação e Sociedade: o panorama brasileiro. Brasília: Câmara dos Deputados, Coordenação de Publicações, 2006, 187p.
NETTO, Alexandre Annenberg. Infovias. In: CGI.br (Comitê Gestor da Internet no Brasil). Pesquisa sobre o Uso das Tecnologias da Informação e da Comunicação 2008.
São Paulo, 2009.
OST, François. O Tempo do Direito. Porto Alegre: Editor Instituto Piaget, 1999.
PEDREIRA, José Pinho. O Teletrabalho. Revista LTr, São Paulo, v. 64, nº 5, maio 2000.
PINTO, José Augusto Rodrigues. Teletrabalho. Revista de Doutrina e Jurisprudência do TRT da 16ª Região, São Luis, v. 13, nº 1, jan./dez., 1994.
PINTO, José Augusto Rodrigues; PAMPLONA FILHO, Rodolfo. Repertório de Conceitos Trabalhistas: Direito Individual. v. 1, São Paulo: LTr, 2000.
PORTO ALEGRE, Prefeitura Municipal. Mapas da Inclusão e Exclusão Social de Porto Alegre. Gabinete do Prefeito/Secretaria do Planejamento Municipal, 2004. Disponível em Acesso em: 20 jul. 2011.
SCHWARTZ, Gilson. “Exclusão Digital entra na Agenda Econômica Mundial”. São Paulo: Folha de S. Paulo, 2000.
SILVA, Frederico Silveira e. O Teletrabalho como Novo Meio de Laborar e sua Compatibilidade com o Ordenamento Jurídico. Revista CEJ, Brasília DF, nº 27, 2004, p. 102-109.
SILVEIRA, Sérgio Amadeu da. “O Duplo Combate à Pobreza do Conhecimento e a Necessidade da Alfabetização Tecnológica”. In Exclusão Digital: a miséria na era da informação. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2001.
SILVEIRA, Sérgio Amadeu da. Exclusão Digital – A Miséria na Era da Informação. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2001.
TOFLLER, Alvin. A Terceira Onda. 16. ed., Rio de Janeiro: Record, [s.d]. p. 200-205.
ZIMERMAN, D. E. Bion: da Teoria à Prática. Uma Leitura Didática. Porto Alegre: Artes Médicas, 1995.
Publicado
30-06-2012
Como Citar
Pezzella, M. C., & Bublitz, M. (2012). A sociedade da informação a serviço da inclusão social. Revista Brasileira De Direitos Fundamentais & Justiça, 6(19), 188-209. https://doi.org/10.30899/dfj.v6i19.316